Retiro do CPM Diocesano fez-se de “pedras vivas”

Para compreender a simbologia e atualidade das cartas de S. Pedro, é fundamental dedicação e disponibilidade para as escutar e refletir. Foi o que fizeram 14 casais do Centro de Preparação para o Matrimónio (CPM) da Diocese de Leiria-Fátima, no dias 13 e 14 de janeiro.

Em ambiente de retiro, sob a orientação do padre José Augusto Leitão, da Congregação do Verbo Divino, foram muitas as pistas e desafios colocadas ao dispor dos participantes. A pergunta fundamental foi: “como fazer da vida em casal uma peregrinação sagrada, com amor e confiança, em que perante cada situação nova é preciso discernir, orar e recomeçar, sendo por vezes preciso abrandar o passo para que o outro nos possa acompanhar?”

O retiro terminou com a celebração da Eucaristia, em que, simbolicamente, as pedras inanimadas do caminho se tornaram pedras vivas, representando os propósitos de vida que cada casal quis atribuir-lhes.

Como resume a Direção Diocesana do CPM, “cada membro do casal é chamado a ser uma pedra viva, não pela sua visibilidade, mas por estar no lugar certo, apoiando-se mutuamente na construção da vida matrimonial”. Para esta construção, “é essencial que o amor conjugal tenha dinamismo, a partir de algumas virtudes fundamentais: fé, coerência, autocontrole, paciência, piedade, amizade e amor”. E este é um dinamismo que “precisa de ser alimentado diariamente, para que assim se viva a verdadeira vocação cristã do matrimónio”.

2018-01-18 retiro1

Partilhar / Print

Print Friendly, PDF & Email

Leia esta e outras notícias na...

Receba as notícias no seu email
em tempo real

Pode escolher quais as notícias que quer receber: destaques, da sua paróquia

plugins premium WordPress