Marrazes celebra Dia da Palavra com todas as comunidades

Nas bancadas já ocupavam os seus lugares as crianças dos centros de catequese de toda a paróquia, pais, irmãos, catequistas e muitos outros paroquianos.

Igreja paroquial dos Marrazes, 22 de janeiro de 2023: hoje a Igreja celebra o Dia da Palavra. Na paróquia dos Marrazes, este dia foi pensado para ser vivido em grande. O relógio marcava as 9h30 e uma carrinha de caixa aberta carregava uma Bíblia de grandes dimensões, que percorreu as seis igrejas da paróquia.

Estávamos no Gândara dos Olivais, de seguida fomos à Quinta do Alçada e depois à Quinta da Matinha. Subimos um pouco mais e chegamos aos Marinheiros, partindo, depois, para os Pinheiros.

Estávamos quase a chegar ao destino, à igreja paroquial dos Marrazes. Aqui, aguardavam-nos crianças, catequistas, pais e muitos paroquianos. Fez-se o transbordo da Bíblia e esta foi “carregada” pelas crianças do 4° ano de toda a paróquia. Deu-se início ao percurso e em procissão seguimos para o local de celebração. E onde era? Imaginem! Era no Pavilhão Gimnodesportivo dos Marrazes, que estava embelezado e preparado para receber tão bela celebração.

Nas bancadas já ocupavam os seus lugares as crianças dos centros de catequese de toda a paróquia, pais, irmãos, catequistas e muitos outros paroquianos. Junto ao altar ficaram as crianças do 4° ano de toda a paróquia: 56 crianças, que participaram ativamente em toda a celebração. Perto delas estavam as catequistas: da Gândara dos Olivais estava a Isabel Bicho (Isa Dionisio) e a Rosa; dos Pinheiros estava a Susana Clemente; dos Marrazes a Dina Silva e a Jaquelina Oliveira; dos Marinheiros estava a Eva; da Quinta da Matinha estava a Sandra Roque e a Silvia; e da Quinta do Alçada estava a Paula Coelho e a Liliana De Sousa.

Era a Festa da Palavra.

A abrilhantar toda a celebração esteve o Mini Bago e o Bago (Grupo Coral) que nos presentearam com as suas tão belas vozes. A presidir esteve o nosso pároco, Rui Acácio, que nos proporcionou uma magnífica homilia. Falou-nos da Bíblia de forma prática e simples. Apresentou-a como que uma ementa boa para cada um de nós ser feliz. Mas para tal é preciso saber lê-la. É preciso lê-la. É preciso estudá-la. É preciso abri-la. Às vezes, temo-la lá em casa apenas a enfeitar a estante. A Bíblia deve ser para consultar e encontrarmos lá preceitos. Se alguém quer ser feliz, deve ler a Bíblia. Se alguém quer ser amigo, deve ler a Bíblia. Se o marido e a esposa querem ser felizes e fazer o outro feliz, devem ler a Bíblia. Não é preciso forçar, nem exagerar, com muita liberdade, acolher a Palavra de Deus que não engana, não mente, e nós deveríamos sentir honrados de ter essa Palavra connosco. A Palavra de um Deus que deu a vida por todos nós.

A seguir, o nosso pároco procedeu à bênção das Bíblias e as catequistas entregaram-nas às suas crianças.

Chegava o momento da Ação de Graças. Lá do alto da bancada surgiu uma voz que dizia:

“Olá, filha… Olá, estou aqui… eu sei, tu não me vês, mas eu vejo-te. Estou tão feliz por te ver aí com os teus amigos. És o meu orgulho. És linda. Lembro-me de quando eras pequenina e eu te ensinei a falar. As primeiras Palavras que disseste foram… mamã, papá, obrigado. Foi giro, foi muito bom ver-te crescer. Hoje recebeste um livro… sim, tu já sabes ler… estás grande e crescida. Esse livro tem escrita a Palavra de Deus. Ele também te quer ensinar a falar e a conhecer algumas coisas. Vamos ler esse livro juntas. O senhor padre disse-me que esta Palavra de Deus podia ajudar-te a ser feliz… e eu acredito. Sim, vamos ler este livro e procurar ser felizes. Tu e esses teus amigos que estão aí contigo. Eu e os pais deles… somos uma grande família e juntos vamos ser muito felizes com essa Palavra.”

Foi lindo!

Seguiu-se o momento das catequistas agradecerem toda a ajuda e colaboração de quantos tornaram possível a concretização de uma festa tão bela com toda a paróquia a celebrar unida.

Um agradecimento especial ao nosso pároco, Rui Acácio, pelo magnífico empenho e dedicação no seu trabalho ao serviço do Senhor. Obrigado por saber e querer fazer sempre diferente. Obrigado de coração. São precisos mais trabalhadores para a Messe do Senhor como o nosso pároco. Hoje saímos todos de coração cheio. Obrigado pela partilha, pela união e por todos os corações humildes que ouviram a voz do Espírito Santo. Ele sopra sempre… mas é preciso estarmos atentos.

Bem-haja à comunidade dos Marrazes!

ÁLBUM FOTOGRÁFICO
http://l-f.pt/ctTI

Partilhar / Print

Print Friendly, PDF & Email

Leia esta e outras notícias na...

Receba as notícias no seu email
em tempo real

Pode escolher quais as notícias que quer receber: destaques, da sua paróquia

plugins premium WordPress