Lectio divina para o 2º Domingo do Advento (Podcast)

Descarregue o podcast da Lectio Divina no seu telemóvel e faça a sua reflexão em qualquer lugar e a qualquer hora...

Texto: P. Joaquim Domingues Luís
Vozes:

Texto: P. Joaquim Domingos Luís
Vozes: Carla Lopes e Padre Luís Morouço Ferreira.

Preparai o caminho do Senhor

Lectio divina para o domingo II do Advento (Ano C), 5.12.2021

Introdução

O Advento é um tempo que nos une à longa espera da humanidade pelo Salvador prometido. Sou convidado a entender e viver o Advento como um tempo de conversão, que dizer, de mudança no pensar, sentir e proceder, tanto na relação com Deus, como na relação com os outros.

Palavra de Deus (Lc 3, 1-6)

Vamos escutar o relato do Evangelho segundo São Lucas

No décimo quinto ano do reinado do imperador Tibério, quando Pôncio Pilatos era governador da Judeia, Herodes, tetrarca da Galileia, seu irmão Filipe, tetrarca da Itureia e da Traconítide, e Lisânias, tetrarca de Abilena, sob o pontificado de Anás e Caifás, a palavra de Deus foi dirigida a João, filho de Zacarias, no deserto. Começou a percorrer toda a região do Jordão, pregando um baptismo de penitência para remissão dos pecados, como está escrito no livro dos oráculos do profeta Isaías: «Uma voz clama no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas. Toda a ravina será preenchida, todo o monte e colina serão abatidos; os caminhos tortuosos ficarão direitos e os escabrosos tornar-se-ão planos. E toda a criatura verá a salvação de Deus.’

Meditação

Uma voz clama no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas.

Tudo tem início no deserto, um lugar carregado de recordações e de profundas ressonâncias emotivas para os israelitas. No deserto eles tinham aprendido muito: a desapegarem-se de tudo aquilo que é supérfluo e a serem solidários, a partilhar os seus bens com os irmãos, e acima de tudo, a confiar em Deus

De que coisas preciso libertar-me para aprender a ser solidário e a confiar em Deus?

‘Preparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas.

Preparar uma estrada para o Senhor significa ao nível da pessoa: arrasar o orgulho através do reconhecimento da nossa condição de pecadores, e levantar, pela esperança, os ânimos decaídos. E a nível social, aplanar as desigualdades injustas e erguer os direitos humanos, tapando os buracos da fome, da ignorância e da pobreza, em toda a amplitude.

Toda a ravina será preenchida, todo o monte e colina serão abatidos; os caminhos tortuosos ficarão direitos e os escabrosos tornar-se-ão planos

Os montes e as colinas representam a soberba, a altivez, a arrogância de quem pretende impor-se e dominar os outros (Is 2, 11-17). É um mundo novo que se inicia, com uma nova lógica que assenta no dom de si, no serviço humilde recíproco e na procura do último lugar (Lc 22, 26).

Os vales a altear são as escandalosas desigualdades económicas denunciadas pelos profetas.

Os caminhos tortuosos são as astúcias, as escolhas insensatas, as situações injustas que devem ser revistas e alterados de acordo com os caminhos de Deus.

Deus faz uma promessa: surgirá o mundo baseado em princípios novos, mesmo que aos homens possa parecer uma miragem.

Toda a criatura verá a Salvação de Deus

Deus não reserva a Sua Salvação apenas para algumas pessoas privilegiadas, mas oferece-a a todos; ninguém é excluído. Mas não basta Deus oferecê-la; é preciso que o homem aceite! Podemos usar mal a nossa liberdade, recusando os dons de Deus. Para aceitar a Salvação que Deus oferece, há uma condição indispensável – a conversão, a mudança radical, a libertação do pecado.

Preparar os caminhos do Senhor é a finalidade do Advento: endireitar as veredas, altear os vales, abater os montes e as colinas, endireitar os caminhos tortuosos… Temos de olhar para dentro de nós, e perguntarmo-nos:

Como vai o nosso coração e a nossa vida?

O que é que em nós impede ou torna difícil a vinda do Senhor?

Quais são os caminhos tortuosos?

Quais são os vales e colinas que precisam ser aplanados?

A experiência diz-nos que não é fácil a conversão, mas não podemos desistir, porque Deus também está interessado nesta nossa caminhada. Temos razões para viver o Advento na Esperança e na Alegria, porque sabemos que, unidos a Cristo, poderemos ultrapassar todos os obstáculos e dificuldades.

Oração

Dai-me, Senhor, um coração novo.

Um coração cheio de esperança,

Cheio de confiança,

Um coração amável e terno

Um coração que não se canse

De dar e receber o vosso amor

Amen.

OUVIR
https://anchor.fm/leiria-fatima
DESCARREGAR
http://l-f.pt/podlec

Esquemas alternativos em texto: https://lectio.leiria-fatima.pt