Escuteiros de Leiria-Fátima inauguram “Ninho do Corvo”

A Região de Leiria-Fátima do Corpo Nacional de Escutas (CNE) inaugurou a sua nova casa “Ninho do Corvo”, no centro da cidade de Leiria, no passado dia 16 de junho, em cerimónia presidida pelo Bispo diocesano.

 

Ver reportagem fotográfica

 

 

 

O sonho era antigo e tornou-se possível pelo surgimento de um benemérito, que comprou e ofereceu o espaço: uma casa para acolhimento de grupos e atividades escutistas, no centro da cidade de Leiria.

Era ainda a “casa sem nome”, quando D. António Marto chegou ao n.º 7 da rua D. Afonso Henriques, pelas 18h00 de sábado 16 de junho, para a sessão inaugural. A direção da Junta Regional e algumas dezenas de escuteiros marcaram presença, bem como o presidente da União de Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes, José Cunha.

O Bispo de Leiria-Fátima começou por sublinhar a importância da casa como “lugar de abrigo e de convívio da família” e deu os parabéns aos que colaboraram com o seu trabalho para concretizar este projeto, começando por recordar o benemérito que cedeu o espaço, entretanto falecido. Segundo Pedro Ascenso, ex-chefe regional que acompanhou o início deste projeto, “um homem de coração grande, que amava o futuro, a juventude e o escutismo”.

Na breve celebração inicial, foi lido o episódio bíblico de Zaqueu, “homem pequeno e de vida pouco recomendável” que quis ver Jesus e que foi por Ele convidado a abrir as portas de sua casa. “Jesus é de nossa casa, se O deixarmos entrar”, referiu D. António Marto, apontado “o coração de cada um” como “a primeira casa onde Ele quer habitar, para nos dar ânimo, força e luz”. Esse gesto de acolhimento transforma a vida, faz de quem O recebe “um homem novo, solidário, aberto também aos outros e ao mundo”. Esse foi o voto que o Bispo deixou aos escuteiros de Leiria-Fátima e a todos os que vierem a usar este novo espaço, “que vão construindo a sua casa e ‘impelindo a sua própria canoa’, como se cantou no início, sempre na companhia de Jesus”.

Na bênção inaugural, percorreram-se os vários espaços dos três pisos da casa, que incluem salas amplas para convívio e atividades, cozinha, quartos com beliches para grupos e o terraço com uma vista magnífica sobre a cidade do Lis.

2018-06-22 cne casa1Voltando ao exterior, foi descerrada a pequena placa que revelou o nome “Ninho do Corvo” e o logótipo da casa, fruto de um concurso de ideias que recebeu propostas a nível nacional e foi ganho por Maria João Rodrigues, caminheira do Agrupamento 1211 Santa Catarina da Serra, desta Região de Leiria-Fátima.

Segundo a memória descritiva resumida na ocasião, a palavra “ninho” é um “termo acolhedor e convidativo”, como se pretende que seja este novo lar para a família escutista, e a palavra “corvo” remete para um dos símbolos desta cidade, associado à “esperança e coragem” na lenda da tomada de Leiria, bem como para “o nome de uma das primeiras patrulhas criadas por Baden-Powell”, fundador do escutismo. “Relativamente à cor [azul escuro], ela está associada ao equilíbrio e à meditação, sendo também usada na insígnia do Bureau Mundial”.

De novo no interior, após uma breve apresentação da casa pelo chefe da Junta Regional, Vítor Faria, e algumas palavras de “parabéns” pelas entidades presentes, a tarde terminou com um beberete de convívio entre todos.

Luís Miguel Ferraz

 


Ver reportagem fotográfica

 

Leia esta e outras notícias na...

Telegram: Leiria-Fátima News

Todas as notícias de www.leiria-fatima.pt em primeira mão no seu smartphone.
Canal unidirecional para divulgação de notícias da Diocese de Leiria-Fátima.

Telegram: Leiria-Fátima Chat

Canal de conversação da Diocese de Leiria-Fátima.
Para troca de ideias sobre os canais digitais da Diocese de Leiria-Fátima e partilha de conteúdos entre os seus colaboradores na área da comunicação.

Newsletter

Nota: Depois de submeter a sua inscrição, deve confirmá-la. As instruções estão num email que irá receber.