45 – Afonso Zúquete – o grande historiador da Diocese

Médico, jornalista e publicista, Afonso Eduardo Martins Zúquete nasceu no Porto a 7 de Janeiro de 1909, filho do engenheiro leiriense Afonso Zúquete e de Ester Martins Zúquete. Não obstante a sua naturalidade, é considerado, pelos laços familiares e dedicação a Leiria, um dos seus filhos adoptivos e o grande investigador da História da Diocese de Leiria, legando ao público, em 1943, uma obra de referência obrigatória.

Fez os estudos secundários no liceu de Leiria e, depois, no liceu Gil Vicente, em Lisboa, após o que se matriculou na Faculdade de Medicina de Lisboa, onde concluiu a sua licenciatura em 1934. Aqui fundou a revista Medicina e foi colaborador da imprensa periódica, escrevendo editoriais no Jornal do Médico e gazetilhas no Lar do Médico, tendo sido mesmo redactor da revista Medicina Moderna e director executivo, durante quase toda a obra, da Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. Mantinha ainda uma colaboração assídua e empenhada nos jornais católicos de Leiria O Mensageiro e A Voz do Domingo. Foi membro da comissão organizadora da Casa do Distrito de Leiria, em Lisboa, e um dos organizadores do “I Congresso das Actividades do Distrito de Leiria”, de 23 a 26 de Setembro de 1943. Foi também um dos principais responsáveis pela organização da “Exposição Artística Bibliográfica dos Autores Médicos”, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (1947).

2018-10-17 100 451Foi Governador Civil do Distrito de Leiria, de 03-12-1947 a 29-05-1951, e organizador, aqui, da “Exposição de Arte Sacra”, em 1950, em que colaborou a Biblioteca Pública de Leiria com a secção Bibliográfica. Em 1947, foi Secretário-Adjunto das “Jornadas Médicas Luso-Suíças”.

Foi também um grande investigador nos campos da genealogia e da heráldica, autor de vasta obra sobre esses temas, incluindo algumas das mais importantes monografias de referência no campo da heráldica familiar portuguesa, constituindo uma referência obrigatória e credível nesse domínio.

A 13 de Novembro de 1943 obteve a distinção de Oficial da Ordem Militar de Cristo. Também era detentor da comenda da Ordem de S. Silvestre Papa, concedida pela Santa Sé como «reconhecimento da Instituição e a prova acabada que o esforço [de escrever os Subsídios para a história da Diocese] fora útil e gratificante».

Faleceu em Lagos a 20 de Agosto de 1981 e ali se encontra sepultado.

O filho de Afonso Zúquete, o Eng. Eduardo Zúquete, publicou o seguinte: «Além dos livros já publicados – Leiria – Subsídios para a História da sua Diocese (Gráfica, 1943) e Monografia de Leiria – A Cidade e o seu Concelho – 1950 (Folheto, 2003) – (…) Afonso Zúquete, meu Pai, deixou inúmeros textos dispersos por muito lado – em jornais regionais (O Mensageiro e A Voz do Domingo), em revistas de índole técnica (O Lar do Médico e O Nosso Lar) e em inúmeros artigos biográficos ou corográficos que figuram, anonimamente, na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira e nos seus seguimentos Nobreza de Portugal, Armorial Lusitano e Tratado de Todos os Vice-Reis e Governadores da Índia, todos publicados pela Editorial Enciclopédia.»

Foi Eduardo Zúquete quem, generosamente, promoveu recentemente a reedição e divulgação de algumas obras do pai, umas esgotadas, outras inéditas, e explica porquê: «Porque entendo que ele, a cidade que o adoptou como terra natal e a sua diocese, cuja história tanto o fascinava e que hoje goza de renome mundial, merecem esse esforço e essa homenagem.»

D. José Alves Correia da Silva, Bispo de Leiria, no prefácio a Leiria – Subsídios para a História da sua Diocese, escreveu: «O Sr. Dr. Afonso Zúquete conservou intacto o carinho pela sua pequenina cidade do Lis, pelos monumentos que a adornam e pelas tradições que a nobilitam. Foi mais longe. Estudou-a e, reconhecendo que a vida de Leiria esteve sempre entrelaçada à Diocese, foi como filho dedicado investigar a sua origem, os tempos áureos que a enobreceram, a sua decadência, extinção, para assistir à sua restauração. // Como resultado dos seus trabalhos, o belo livro que tenho o prazer de apresentar aos leitores.»

Este livro teve, para o século XX, uma importância semelhante à que teve, para o século XIX, o Couseiro. Talvez o volume de informação não seja tão grande, mas tem outra amplitude e é trabalhada de uma forma mais consentânea com os padrões historiográficos contemporâneos. Para além de fazer abordagens breves, mas incisivas, sobre matérias essenciais como as origens e fundação do Bispado de Leiria, as Sés e a extinção e restauração da Diocese ou Conventos e Igrejas de Leiria, trata de outras (as freguesias, as dignidades e benefícios, as Constituições do bispado e o Seminário) com sínteses elucidativas e, intuindo a importância que o futuro lhe reservava, inclui o elemento novo que é Fátima, que hoje acrescenta o nome da Diocese. Mas é sobretudo à figura dos Bispos e ao seu papel na Diocese que Zúquete dispensa um estudo mais extenso, dedicando-lhes cerca de 50% das 380 páginas que tem o original de 1943, com 2.ª edição fac-similada em 2013. Com este trabalho, ainda hoje incontornável para quem quiser conhecer a história da Diocese de Leiria-Fátima, Afonso Zúquete passa a ser o grande historiador da Diocese, apesar das muitas investigações que se fizeram posteriormente. Contudo, na sua essência, elas não beliscam o estudo profundo e meticuloso que levou a cabo num tempo em que não havia Internet e consultar fontes representava um consumo incalculável de tempo e de recursos, mais significativo se nos lembramos que o autor era um profissional de medicina e que a história ou a genealogia e a heráldica eram paixões “laterais”.

Entre as várias obras que escreveu, resumamos:

– Leiria – Subsídios para a História da sua Diocese, Gráfica, Leiria, 1943 (2.ª ed. Fac-similada, Leiria, Folheto, 2013).

– A Santa Casa da Misericórdia de Leiria – História e Necessidades, separata do Jornal do Médico, n.º 74, Porto, 1943, pp. 3-20.

– Os Bispos de Leiria e a fisionomia Citadina, 1943.

– Armorial lusitano: genealogia e heráldica, dir. e coord. de Afonso Eduardo Martins Zúquete; colab. António Machado de Faria; des. João Carlos e J. Ricardo da Silva, 1.ª ed. Lisboa: Editorial Enciclopédia, 1961; 3.ª ed., Lisboa: Representações Zairol, 1987.

– Nobreza de Portugal e do Brasil: bibliografia, biografia, cronologia, filatelia, genealogia, heráldica, história, nobiliarquia, numismática, dir. coord. e compil. Afonso Eduardo Martins Zúquete. Lisboa: Enciclopédia, 1960-1961; e Lisboa, Zairol, 2000.

– Tratado de Todos os Vice-Reis e Governadores da Índia. Lisboa: Editorial Enciclopédia, 1962.

– Monografia de Leiria – A Cidade e o Concelho, 1950. Leiria, 2003; reed. 2013.

– Afonso Zúquete na imprensa, coord. Adélio Amaro. Leiria: Folheto, 2013.

Elementos recolhidos por Carlos Fernandes


Ver mais artigos da rubrica “100 anos – Figuras & Factos

Leia esta e outras notícias na...

Receba as notícias no seu email
em tempo real

Pode escolher quais as notícias que quer receber: destaques, da sua paróquia…

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter

Print

Print Friendly, PDF & Email

REDE - Revista Digital

Mais recente

Telegram: Leiria-Fátima News

Todas as notícias de www.leiria-fatima.pt em primeira mão no seu smartphone.
Canal unidirecional para divulgação de notícias da Diocese de Leiria-Fátima.

Telegram: Leiria-Fátima Chat

Canal de conversação da Diocese de Leiria-Fátima.
Para troca de ideias sobre os canais digitais da Diocese de Leiria-Fátima e partilha de conteúdos entre os seus colaboradores na área da comunicação.

Newsletter

Nota: Depois de submeter a sua inscrição, deve confirmá-la. As instruções estão num email que irá receber.