Como desejamos esconder esta falta de unidade entre o “estar” e o “ser”! Ansiamos tanto ter um corpo são em mente sã! Aspiramos à felicidade para sempre, mas sabemos que tal não é possível neste mundo.
Como desejamos esconder esta falta de unidade entre o “estar” e o “ser”! Ansiamos tanto ter um corpo são em mente sã! Aspiramos à felicidade para sempre, mas sabemos que tal não é possível neste mundo.

Opinião

Vox Populi

De todas as perdas na vida, há duas extremamente angustiantes, sobretudo se a perda se alonga no tempo. Uma, é a perda de pessoas queridas; outra, é a perda do caminho, de orientação, como pode acontecer no alto mar ou em montanhas elevadas.
Foi com muito agrado que li os dois artigos publicados na REDE sobre a proteção de menores e adultos vulneráveis vítimas de abusos sexuais. O foco era a proteção em relação a abusadores / violadores que exerçam atividade na Igreja Católica.
Filipe Néri, que sempre me despertou particulares simpatias, pelo modo como quis fazer penetrar o Evangelho na vida corrente, sem emblemas nem bandeiras, apostado em fazer da amizade o anzol da sua pesca.
Esta madrugada, porém, após uma segunda leitura dos textos que nos são propostos, senti que se escrevesse apenas como quem pensa em voz alta, sem querer ensinar seja o que for, sobretudo quando há tanta gente a falar de Fátima, eu podia também fazer deste tema o que tenho vindo a fazer com outros, oferecendo algum texto a quem queira aceitar a minha partilha.
Acontece que este texto do que também foi apelidado de Príncipe dos Poetas Portugueses, além de caber num conjunto de poemas de Camões e outros vates, que mereciam um melhor tratamento por parte dos nossos estudiosos,.
Apetece-me recordar, como ponto de partida, que a metáfora da viagem para representar uma extraordinária filosofia – há mesmo quem lhe chame teologia – da história humana, é a espinha dorsal de uma das nossas maiores glórias literárias, que talvez continue a sofrer de algumas décadas de maus tratos nas aulas de Português, no Ensino Secundário.