Expedição de São Julião do Tojal em busca das jóias perdidas na Diocese

No dia 10 de junho, a gloriosa expedição 121, contando com 14 elementos, saiu de um canto de Loures designado São Julião do Tojal, numa carrinha, em busca das joisas perdidas.
http://lefa.pt/?p=53536

No dia 10 de junho, a gloriosa expedição 121, contando com 14 elementos, saiu de um canto de Loures designado São Julião do Tojal, numa carrinha, em busca das joisas perdidas.

Cheios de motivação, partiram, alegremente, para a primeira paragem: a Quinta do Escuteiro-Centro Escutista de Leiria-Fátima, na Batalha. No momento em que colocaram um dos cansados e fortes pés na sagrada Quinta, a nossa Quinta, a grande Quinta do Escuteiro, repararam que estavam num país novo, como se nunca tivessem visto outra coisa parecida.

Com muito esforço, exploraram os vários espaços e locais do campo e montaram tendas e abrigos para os 14 escuteiros exploradores do agrupamento 1023 – S. Julião do Tojal.

Vendo o campo de vólei dentro da Quinta e não tendo bola, desenrascaram-se e fizeram um jogo novo: como eram 2 patrulhas, cada patrulha pegou e esticou 1 pano de tenda. Antes de começar o jogo, descalçaram-se, tocando com os pés na areia quente e confortável. De seguida, pegaram num pau e colocaram-o em cima do pano de tenda, com as patrulhas uma de cada lado da rede, tinham de lançar o pau de um pano de tenda para o outro. Se o pau caísse, a outra patrulha ganhava 1 ponto.

À noite, depois do manjar dos deuses, foram realizar um jogo. O imaginário era baseado no filme Jumanji, em que um grupo de amigos é sugado para um jogo e, para sair de lá, têm de resgatar uma pedra que está com o rei malvado. Com esta base, modificaram algumas coisas: em vez de um rei, era uma rainha, e cada patrulha tinha 15 vidas e a cada disparate ou falta de respeito uma vida era retirada. No jogo tinham de fugir de hipopótamos furiosos e de comunicar via rádio entre patrulhas, utilizando o alfabeto fonético.

Depois, foram-se deitar e preparar para o segundo dia.

Na manhã seguinte, acordaram e tomaram o pequeno-almoço, rapidamente, pois tinham de ir ao Sagrado Santuário de Fátima. Na chegada ao Santuário, ficaram deslumbrados e disfrutaram o momento. Participaram na missa e ficaram surpreendidos por esta ser celebrada em diferentes línguas.

De volta a campo, almoçaram e desmontaram campo com chuva. Despediram-se e agradeceram pela oportunidade de conhecer este local de acampamento maravilhoso.

Partilhar / Print

Print Friendly, PDF & Email

Leia esta e outras notícias na...

Receba as notícias no seu email
em tempo real

Pode escolher quais as notícias que quer receber: destaques, da sua paróquia

plugins premium WordPress