Discurso de agradecimento na Missa de Gratidão e Despedida

Mas não é só a Deus que quero agradecer neste momento, porque já o fizemos na celebração. O Senhor colocou a meu lado, pessoas que, com generosidade e amor, colaboraram no trabalho pastoral.

Caros amigos e amigas,

Na hora da despedida é-me grato e gratificante poder dizer-vos como Santo Agostinho: “Todas as minhas recordações são ação de graças”! A Deus e a vós!

Compreendeis que hoje o meu coração está cheio de gratidão a Deus porque nunca deixou faltar à nossa Igreja diocesana e a mim a graça do seu amor, da sua luz, consolação e fortaleza.  Mas não é só a Deus que quero agradecer neste momento, porque já o fizemos na celebração. Um bispo não está sozinho na condução pastoral do povo de Deus. O Senhor colocou a meu lado, pessoas que, com generosidade e amor, colaboraram no trabalho pastoral.

Discurso de agradecimento
https://youtu.be/8O-kO7DnEFg

Quero expressar, pois, o meu profundo agradecimento a todos vós: aos meus irmãos sacerdotes que, como colaboradores mais imediatos com a vossa dedicação, me ajudastes a levar com mais leveza o meu ministério episcopal; aos consagrados/as de quem recebi admiráveis lições de gratuidade, de entrega, fidelidade e carinho; aos numerosos cristãos e cristãs leigos que não regateastes generosidade na hora de colaborar na liturgia, na catequese, na ação caritativa e social ou no campo do ensino e educação, tornando presente a Igreja no meio do mundo, na vida normal quotidiana; a todas as autoridades e entidades civis, académicas e militares que sempre me brindaram com a sua gentil deferência e estima pessoal. Sem esquecer os peregrinos de Fátima e o seu testemunho de fé. Um especial agradecimento aos colaboradores da Cúria Diocesana e à paróquia de Leiria e quantos prepararam esta celebração. Agradeço de maneira especial as numerosas manifestações de afeto e carinho que recebi ao longo dos 16 anos no meio de vós. Muito obrigado! As realizações pastorais que alcançámos são fruto do esforço e generosidade de todos.

Estou consciente de que as realizações alcançadas ficaram aquém das aspirações. Peço perdão a todos a quem não tenha prestado a atenção devida ou desgostado por ações ou omissões. Espero que me julgueis com mais misericórdia do que justiça. Assim o espero também de Deus Pai que nos supera infinitamente em bondade e misericórdia!

Amei e continuarei a amar com toda a minha alma esta Igreja de Leiria-Fátima e os seus fiéis. Como me senti querido por tantos de vós. Dou graças a Deus por vos ter conhecido; por ter trabalhado junto de vós e convosco nesta vinha do Senhor; por tudo o que recebi e aprendi, que é, sem dúvida, muito mais do que dei e ensinei; por me ter sentido entre vós como em família, bispo irmão entre irmãos e irmãs.

Deus sabe que não ambicionei nem busquei honras, privilégios e aplausos. Todavia, levo uma riqueza que não trocaria por todo o ouro do mundo: o coração cheio de nomes e rostos, que são os vossos, sobretudo os dos “meus caros amiguitos e amiguitas”. E levarei comigo o título mais honroso: o de bispo emérito de Leiria-Fátima! Como levarei sempre comigo, gravada na retina da alma e do coração a imagem de Nossa Senhora de Fátima, querida e terna Mãe, e dos santos Pastorinhos, de quem recebi tanta ternura e tantas graças.

Nestes dias, pensando no meu futuro imediato, recordei muitas vezes os versos de S. João da Cruz: “Já não guardo rebanho, nem já tenho outro ofício, que já só o amar é meu exercício”. Queira Deus que seja verdade o de amar! Mas enquanto tiver saúde e forças, continuarei a trabalhar ao serviço do Evangelho em tudo o que me for possível. Depois de receber tanto do Senhor e da Igreja, como não empregar tudo o que uma pessoa é, tem e pode, no seu serviço?

Quero exprimir a confiança na graça e no futuro de Deus para esta Igreja de Leiria-Fátima, com as palavras de S. Paulo ao despedir-se da comunidade de Mileto: “Confio-vos todos ao Senhor e à Palavra da Sua graça” que tem o poder de salvar, de fazer maravilhas, de edificar a Igreja. Não tenhais medo! Tende confiança! Tende sempre um sentido nobre, grande e belo da vossa fé! Sede cidadãos dignos do Evangelho de Cristo e testemunhas da alegria do Evangelho no mundo!

Permiti-me que as últimas palavras as tome de S. Paulo, na carta aos Filipenses:

“Dou graças ao meu Deus, sempre, em toda a minha oração por todos vós. É uma oração que faço com alegria, por causa da vossa participação no anúncio do Evangelho, desde o primeiro dia até agora. É exatamente nisto que ponho a minha confiança: Aquele que em vós deu início a uma boa obra, há-de levá-la à perfeição… É justo que eu tenha estes sentimentos por todos vós, pois tenho-vos a todos no meu coração…Deus é minha testemunha do quanto vos quero bem a todos, com a afeição de Jesus Cristo. É por isto que eu rezo: para que o vosso amor aumente ainda mais e mais em sabedoria e discernimento, para vos poderdes decidir pelo que convém melhor”(Fil 1, 3-10).

Como S. Paulo, levo-vos a todos no coração e na oração. Por favor, rezai por mim. Eu farei o mesmo por vós. E rezai por D. José Ornelas, vosso novo bispo, que é e será em Leiria-Fátima um excelente Pastor. Acolhei-o com a mesma generosidade com que me acolhestes a mim. Muito e muito obrigado! O Senhor vos abençoe e Nossa Senhora vos proteja e ampare em todos caminhos da vossa vida!

Terminemos com uma oração a Nossa Senhora:

Ó Maria, Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Padroeira da nossa querida Diocese! Como haveria de partir sem agradecer à Tua mão maternal a proteção que sempre senti ao longo destes anos? E, agora, mais uma vez nos dirigimos a Ti: Da tua capelinha das aparições vela sobre o nosso caminho de Igreja, torna-nos participantes da Tua fé para podermos sermos um só coração e uma só alma em Cristo e contigo. Dá à Diocese um espírito missionário. Torna os nossos corações capazes de acolher o Espírito do amor de Deus; de descobrir a sua beleza e ternura, para amá-lo de todo o coração e dar amor aos nossos irmãos. Abençoa, ó Mãe, a nossa Igreja diocesana, cidades, vilas e aldeias; guia-nos no caminho do crescimento nos dons, carismas, vocações e ministérios que o Espírito Santo faz florescer entre nós! Abençoa a humanidade inteira que tem necessidade de Ti, Mãe de Misericórdia, porque tem necessidade do Teu Filho, Jesus Cristo, Redentor do homem e do mundo. Querida mãe, dá-nos a tua bênção. Ámen!

Leiria, 6 de março de 2022

† Cardeal António Marto, Administrador Apostólico de Leiria-Fátima

Discurso de agradecimento na Missa de Gratidão e Despedida
https://drive.google.com/file/d/1DpPBPReHM3ZABmbJXAquMmdHwQRe-iZr

Partilhar / Print

Print Friendly, PDF & Email

Leia esta e outras notícias na...

Receba as notícias no seu email
em tempo real

Pode escolher quais as notícias que quer receber: destaques, da sua paróquia

plugins premium WordPress