Diretora do Lar de Santa Isabel em entrevista: 50 anos de serviço à comunidade

No dia 4 de julho o Lar de S. Isabel, de Leiria, celebrou os 50 anos da sua criação. Esta instituição tornou-se uma importante resposta social na região e integra o Centro Social Paroquial Paulo VI .
http://lefa.pt/?p=53618

No dia 4 de julho o Lar de S. Isabel, de Leiria, celebrou os 50 anos da sua criação. Esta instituição tornou-se uma importante resposta social na região e integra o Centro Social Paroquial Paulo VI (CSPPVI), acolhendo meninas e jovens raparigas sem família ou, tendo-a, não apresenta condições de manter as filhas nas devidas condições de proteção e educação. A efeméride foi marcada de forma singela com a realização de um jantar comemorativo com as meninas e jovens residentes, educadoras, membros da direção e um benfeitor, além dos parabéns e do típico bolo de aniversário.

Para registo deste marco histórico do Lar, entrevistámos a sua diretora técnica, Conceição Lopes. Foi no atendimento direto ao público que esta técnica iniciou a sua vida profissional. No CSPP VI começou a trabalhar em janeiro de 1981.

Como é o Lar de Santa Isabel, de que apoios vive e como é vista a Instituição pela comunidade que a rodeia?

A Casa de Acolhimento Residencial (CAR) – Lar de Santa Isabel é uma das respostas sociais do CSPPVI. Teve como origem a creche D. Nuno Álvares Pereira fundada em 1921, no entanto reportamos a sua existência ao ano de 1973, tendo sido adquirido em 1977 o edifício onde hoje se situa.

Desde aquela altura, o edifício sofreu algumas alterações arquitetónicas e alguns melhoramentos, que possibilitam maior e melhor funcionalidade e melhores condições de habitabilidade.

A CAR – Lar de Santa Isabel é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos. Tem por finalidade o acolhimento de crianças/jovens, do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 6 e os 18/25 anos, em situação de risco ou perigo eminente, proporcionando-lhe um contexto de vida o mais próximo possível ao da estrutura familiar, garantindo o seu bem-estar e desenvolvimento global e uma adequada inserção familiar e comunitária. Elabora projetos de vida adequados a cada criança/jovem, em articulação com os técnicos e serviços que acompanham a situação familiar, com a participação ativa das crianças/jovens e famílias, respeitando a sua individualidade e privacidade.

A CAR – Lar de Santa Isabel tem acordo de cooperação com o Instituto de Segurança Social para o acolhimento de 40 crianças/ jovens.

Vive de um subsídio mensal, atribuído pela Segurança Social, o qual é insuficiente para suportar todos os encargos. Para colmatar a diferença, contamos com donativos de empresas e particulares.

Todas as crianças e jovens acolhidas, frequentam estabelecimentos de ensino, que vão do ensino básico ao superior, passando também por formações profissionais, com e sem equivalência escolar, consoante as capacidades de cada uma.

Tentamos, a qualquer custo, prestar às crianças/jovens e às suas famílias um serviço de qualidade, proporcionando, sempre que possível, uma ligação estreita entre a instituição e a família biológica o que, na maior parte das vezes, é muito difícil, tendo em conta as problemáticas associadas a cada situação.

Acreditamos que a CAR – Lar de Santa Isabel é uma Instituição reconhecida pela comunidade onde está inserida, basta para isso lembrar o apoio pro bono que temos, dos serviços de médicos de várias especialidades, psicólogos, professores/ explicadores e outros voluntários. Para além disso, temos os apoios em espécie de uma farmácia, de uma ótica, supermercados e hipermercados, pastelarias e particulares. Podemos contar, ainda, com famílias que apoiam algumas das crianças/jovens, em fins de semana e períodos de férias.

Salientamos também a boa colaboração com as diferentes escolas, serviços de saúde, entidades locais e coletividades.

Durante as cinco décadas, quais os momentos que a instituição viveu com maior aflição?

Dos 25 anos de trabalho com o Lar Santa Isabel, considero que um dos momentos mais difíceis pelos quais passámos, foi a pandemia Covid-19.

Pela primeira vez o Lar não fechou na noite de Natal, pois tínhamos 3 casos positivos e, por isso, ficámos em isolamento. De todo o período de pandemia, esta foi, sem dúvida, a situação mais difícil de suportar pelas crianças/jovens.

Não podemos esquecer que tínhamos acolhidas 40 crianças/jovens, que frequentavam os mais variados anos de escolaridade e estabelecimentos de ensino. Aquando dos períodos de isolamento, tivemos que criar condições para as aulas online, criar vários espaços, reforçar a rede de internet, disponibilizar computadores, etc.

Sempre que surgiam casos positivos tínhamos que reorganizar a casa, de modo a termos locais de isolamento.

Tivemos que organizar um espaço exterior, casa cedida pelo Seminário Diocesano, para o caso de termos um grande número de casos positivos. Felizmente não foi necessário.

De referir que tivemos muito apoio da Câmara Municipal de Leiria e da União de Freguesias.

O que fizeram para marcar este dia único na vida da instituição?

Sei que 50 anos é um marco muito importante. Confesso que não sou dada a grandes festejos. A festa é feita diariamente, quando conseguimos ultrapassar os obstáculos com os quais nos deparamos. Mesmo assim, não quis deixar de assinalar o dia. Fizemo-lo com um jantar para todas as crianças e jovens, elementos da Direção e um benfeitor, em representação de todas as pessoas que nos apoiam.

Quantas utentes acolhe o Lar? De que idades? Qual o perfil da utente?

Atualmente o Lar acolhe 30 crianças e jovens, com idades compreendidas entre os 8 e os 23 anos.

Chegada a maioridade, as jovens saem da instituição? Como se processa essa saída, se dá a integração na sociedade e quais as garantias para o seu futuro?

Quando atingem a maioridade as jovens, se assim o pretenderem, podem continuar acolhidas. É muito importante que tal aconteça para que possam adquirir condições para concretizarem o projeto de vida que foi definido para elas.

Que projetos tem o Lar de Santa Isabel a curto prazo?

Um dos projetos que tínhamos, há muitos anos, acabou de ser concretizado, no passado dia 01 de junho. Nesta data, o Centro Social Paroquial Paulo VI celebrou com o Instituto da Segurança Social Acordo de Cooperação para a resposta social Apartamento de Autonomização, para onde passaram 5 das jovens que estavam acolhidas no Lar.

O módulo não pode ser fornecido porque o conteúdo solicitado não é (por mais tempo) acessível. Entre em contato com o administrador para obter acesso.

Partilhar / Print

Print Friendly, PDF & Email
Captura de ecrã 2024-04-17, às 12.19.04

Leia esta e outras notícias na...

Receba as notícias no seu email
em tempo real

Pode escolher quais as notícias que quer receber: destaques, da sua paróquia

plugins premium WordPress