Notícias

Movimento Eclesial Mambré / Associação Novahumanitas em destaque no PRESENTE

Categoria: Notícias
Criado em 02-07-2014

Em junho de 2013, o Bispo de Leiria-Fátima assinou o decreto de reconhecimento do Movimento Eclesial Mambré na diocese de Leiria-Fátima, especificando que “a associação empenhar-se-á em manter viva a comunhão e colaboração com esta Igreja Particular, na diversidade e complementaridade dos seus serviços, movimentos e instituições; por isso, além das normas canónicas e dos próprios Estatutos, observará as orientações pastorais do Bispo diocesano e desenvolverá as suas ações apostólicas e formativas com o seu conhecimento e aprovação”. Esta é a associação que vamos conhecer melhor esta semana.

 

Movimento Eclesial Mambré

O Movimento Eclesial Mambré, iniciado em 1983 por Maria Ángeles de los Rios Mora, é uma associação privada de fiéis, com estatutos aprovados e dotada de personalidade jurídica canónica por decreto do Arcebispo de Madrid, com data de 27 de outubro de 1997, e confirmados por novo decreto de 14 de abril de 2009. Em Portugal, a mesma associação está reconhecida, aprovada e dotada de personalidade jurídica canónica por decreto do Patriarca de Lisboa, datado de 1 de março de 2006, e tem a sua sede em São João da Talha. Tem cerca de 70 membros em Portugal, 30 em Espanha e 13 em Cabo Verde.

Nos Estatutos, refere-se como finalidade “conseguir que os seus membros cheguem a ser mulheres e homens de Deus” e “pedras vivas da Igreja”, através da “formação integral dos seus membros” na escola de formação humano-espiritual Novahumanitas, associação que é parte integrante do mesmo Movimento e lhe está subordinada.

Apresenta-se como “uma pequena célula do Corpo Místico de Cristo, uma pequena escola de formação de homens e mulheres de Deus, uma pequena comunidade de apóstolos formados e formadores”. Como principais características de “vocação Mambré” indicam-se: “estado de desinstalação e de busca, profundidade de vida, abertura e liberdade interior, docilidade humilde, verdadeira sede de Deus, pobreza de coração, amor profundo à Igreja, paixão pela humanidade, capacidade de transparência fraterna e de comunhão”.

Na diocese de Leiria-Fátima são cerca de 25 os fiéis que lhe estão associados, tendo já uma casa em Fátima, na rua Moinhos da Fazarga, há bastante tempo, como seu centro formativo. Tendo em conta essa presença efetiva, a sua fundadora pediu a D. António Marto, Bispo de Leiria-Fátima, que tornasse “oficial” o movimento na Diocese, o que foi reconhecido em decreto de 28 de junho de 2013.

Associação Novahumanitas

Novahumanitas é uma associação sem fins lucrativos situada na área das ciências humanas, uma escola de psicologia aplicada, uma psicopedagogia do crescimento da pessoa. Com um método de base científica, conjugando antropologia, psicologia e pedagogia, congrega as investigações de vários autores modernos em cursos de formação e acompanhamento individual e em grupo.

A sua metodologia é simples, ativa e indutiva, partindo da vida para conduzir à vida, através da “maiêutica”, descoberta de si mesmo, desenvolvimento pessoal e melhoria das relações humanas, tendo em vista uma vida mais realizada e feliz.

Destina-se a qualquer pessoa adulta que deseje conhecer-se, crescer e melhorar a sua qualidade de vida pessoal e social. Sem distinção de estatuto, cultura ou religião, é útil sobretudo a quem exerce atividades que exigem bom equilíbrio pessoal e uma relação humana de qualidade, como sejam os pais, educadores, professores, sacerdotes, profissionais de saúde, assistentes sociais, relações públicas, gestores de recursos humanos ou diretores de empresas.

 

Entrevista à fundadora

Maria Ángeles de los Rios Mora, natural de Toledo, Espanha, e atualmente residente a maior parte do tempo em Portugal, foi a fundadora desta comunidade. Formada em Teologia na Universidade Católica de Paris, aprofundou a sua investigação na área das ciências sociais e humanas, seguindo um apelo interior a “falar de Deus aos homens de hoje”.

Numa entrevista exclusiva ao jornal Presente Leiria-Fátima, falou-nos desta comunidade e do seu projeto formativo.

 

Como nasceu Mambré?

A partir da minha experiência como docente em Espanha e Paris, percebi que só fazia sentido uma formação que tocasse simultaneamente os campos humano, espiritual e teológico. Na minha formação cristã, absorvi muito o Concílio Vaticano II e os seus desafios à participação dos leigos em Igreja. Então, quis ajudar outros a fazer esse percurso e foi assim que desenvolvi a formação psicopedagógica Novahumanitas. A associação Mambré surge, portanto, como acolhedora desse projeto, destinada a todos os cristãos que, permanecendo nos seus ambientes familiares e sociais, querem viver um compromisso constante e profundo de crescimento humano e espiritual, em ordem a um maior envolvimento pastoral.

Quando chegou a Portugal?

Cheguei a Portugal antes de fundar Mambré. Quando estudava teologia e formação em psicopedagogia do crescimento humano, em Paris, nos anos 70, trabalhei com emigrantes portugueses. Um casal e um sacerdote portugueses convidaram-me a vir para cá desenvolver este trabalho. Foi em 1980 que vim e foi a partir daqui que se desenvolveu toda a dinâmica do movimento e deste projeto formativo. E por cá fiquei e continuo até agora…

Qual o carisma e modo de vida dos membros de Mambré?

Temos um carisma trinitário e eclesial. Não somos um grupo fechado ou uma “capelinha”, mas vivemos nas dioceses e nas paróquias, como fraternidade evangélica que comunga dos mesmos valores e na partilha profunda da vida e da fé, procurando ser pedras vivas da Igreja, “adultos à estatura de Cristo Jesus”, como diz S. Paulo.

O caminho escolhido é a formação humana e espiritual, tendo como referência a Palavra de Deus, que é o centro das nossas formações, retiros e encontros. E fazemo-lo com intensidade e seriedade, num processo contínuo de transformação pessoal, que acaba por ser mais difícil do que trabalhar para os outros. Conhecermo-nos a nós próprios, vivermos bem connosco próprios é sempre um processo difícil.

A vossa principal atividade é, portanto, a formação…

Sim, podemos dizer que Mambré é a associação “mãe” reconhecida oficialmente pela Igreja e Novahumanitas é a sua atividade apostólica, também constituída como associação, que tem estatuto de utilidade pública concedida pelo Estado português. Situando-se no campo da psicologia humanista, é uma escola de formação para quem aspira a uma vida interior mais plena e mais profunda em todas as dimensões da sua existência.

Na prática, qual a diferença entre Mambré e Novahumanitas?

A proposta de Mambré oferece diversos meios de concretizar essa aspiração, sejam encontros, cursos, retiros, acompanhamento pessoal, etc. Não são formações teóricas, mas sessões de trabalho prático que conduzem à introspeção e autoanálise. Começa por uma sólida formação humana, que ajuda a descobrir e desenvolver os talentos que Deus confia a cada um, aprofunda-se numa formação espiritual orante, que conduz à íntima e contemplativa experiência de Deus Trindade, e complementa-se com a formação teológica, não só na comunidade, mas também nos institutos e universidades.

O objetivo final é que sejam verdadeiros homens e mulheres, em primeiro lugar, e depois verdadeiros cristãos, de profunda vida de fé e testemunhas dessa fé na sociedade em que vivem. Cristãos que possam ser elementos dinâmicos e ativos nas comunidades.

A formação Novahumanitas, no entanto, é universal e pode ser frequentada por qualquer pessoa, independentemente do seu estatuto social, nível cultural, ideologia política ou credo religioso. São, basicamente, sessões de formação humana sobre a essência da pessoa, das suas relações e do seu desenvolvimento.

O que oferecemos, depois, aos crentes, é o complemento da formação espiritual e mesmo teológica.

Quem quiser pertencer à comunidade, como poderá fazer a sua integração?

Como disse, são convidados todos os que se identificam com esta espiritualidade e queiram fazer este caminho. No fundo, aqueles que sentem necessidade de mais formação.

Noto que hoje há muita falta de alicerces, de solidez humana, mesmo nos cristãos. Então, é por aí que começamos: ajudar cada pessoa a descobrir a riqueza que tem dentro de si e que, tantas vezes, está escondida ou deturpada por uma educação negativa ou repressiva, com medos, insatisfações, complexos e compensações diversas.

Quem quiser aderir, basta que nos contacte e comece a frequentar as nossas formações em Novahumanitas.

Porque quis vir para a diocese de Leiria-Fátima?

Já tínhamos uma casa em São João da Talha - Lisboa, que é a nossa sede, mas sentíamos que seria bom vir para Fátima, dado que é um importante centro espiritual do País. Comunicámos esse desejo ao Bispo diocesano, que nos acolheu e é aí que estamos a centralizar a nossa ação.

A vossa presença será também uma mais-valia para a Diocese?

Com certeza. Ao estarmos mais próximos e com maior visibilidade, podemos despertar nos diocesanos de Leiria-Fátima essa vontade de aprofundarem a sua formação humana e espiritual. É isso que temos para lhes oferecer, dotando, depois, a Diocese com pessoas mais conscientes e preparadas para a missão, para serem pedras vivas desta Igreja particular nas suas famílias e comunidades. Deixamos desde já o convite às paróquias a que enviem pessoas para serem formadas em Novahumanitas, e futuramente, mais comprometidas na vida cristã pessoal e comunitária dessas mesmas paróquias.

Que mensagem deixaria, então, aos diocesanos?

Não é possível ser cristão sólido sem ser pessoa sólida, sem se conhecer a si mesmo e aos outros como pessoas. Tudo cai pela base, porque é construído sobre a areia. Por isso, procurem primeiro formar-se humanamente, para depois construírem a casa da sua fé sobre alicerces sólidos.

Todos queremos ser felizes, mas isso é consequência do modo como nos preparamos para viver em felicidade. É como ter saúde, um desejo bom que só se concretiza se conhecermos a forma como funciona o nosso corpo e tivermos hábitos que respeitem esse funcionamento.

Então, é essa a mensagem: procurem meios para o autoconhecimento e a autorrealização, para conhecerem os verdadeiros valores humanos que são o suporte dos valores cristãos e conduzem à felicidade. É essa a nossa “regra”: que cada um descubra, acolha e realize a vontade de Deus a seu respeito.

 

Um testemunho em Leiria-Fátima

Na diocese de Leiria-Fátima, a responsável da Associação Mambré é Maria José Santos Pereira da Silva, sendo o padre Mário de Almeida Verdasca o assistente eclesiástico nomeado pelo Bispo.

Maria José acompanhou a fundadora durante a entrevista ao jornal PRESENTE e contou-nos também um pouco da sua história de ligação a esta comunidade. Há 29 anos, fez uma formação psicopedagógica Novahumanitas. “A partir daí, foi uma reviravolta total na minha vida”, refere.

Continuou a sua formação em Novahumanitas e mais tarde fez os exercícios espirituais de S. Inácio e assumiu ali a base para apostar a vida: ser mais pedra viva da Igreja, procurando para isso mais formação espiritual e teológica. Na mesma linha, fez o curso na Escola Teológica de Leigos da Diocese de Leiria-Fátima.

Em 1999 fez a sua “oblação”, a celebração que a vinculou como Comprometida com a associação Mambré. De então para cá, tem dinamizado a ação pastoral na comunidade local e colabora nas iniciativas da Novahumanitas.

LMFerraz | Presente Leiria-Fátima

Partilhar:



Video

Entrevista de D. António Marto à Agência Ecclesia

Prestes a receber o Papa Francisco em Fátima, D. António Marto fala da visita, do Centenário das Aparições e da Mensagem de Fátima.



Contactos

 

Serviços Gerais da Diocese


R. Joaquim Ribeiro Carvalho, 2 
2410–116 Leiria

Tel.: 244 845 030
Fax: 300 013 266

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Siga-nos

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Liturgia Diária



© Diocese Leiria-Fátima, Todos os direitos reservados

© Diocese Leiria-Fátima, Todos os direitos reservados